A gasolina ainda se faz ouvir num mundo eletrificado

Motores

A gasolina ainda se faz ouvir num mundo eletrificado

Duas propostas em contraciclo com as tendências ambientais do mercado e com fortes atributos para conquistar o mais exigente dos petrolhead.

Verde ou azul? A diferença entre o M3 Competition, trajado de verde "ambiental", e o M4 Competition, de azul "elétrico", é esbatida como o amarelo que separa uma cor da outra. Uma carroçaria de quatro portas ou um coupé? Estas são as opções. Em tudo o resto, são gémeos.

De "ambiental", o primeiro apenas tem o verde. E de "elétrico", o segundo só tem o azul. Nestas duas propostas ultra radicais da BMW fala-se de combustão interna pura. De gasolina e octanas. E de uma potência bastante audível, num mundo da mobilidade cada vez mais eletrificado.

Nestas duas propostas ultra radicais da BMW fala-se de combustão interna pura. De gasolina e octanas.

Ambos contam com um motor de seis cilindros em linha biturbo de 3,0 litros com 510 cv - as versões ditas "convencionais" do M3 e M4 debitam "apenas" 480 cv. O apelido Competition não está lá por acaso. São muitos cavalos e fazem-se ouvir bem alto. Mas já lá vamos.

Umas palavras sobre o visual de um e de outro. Não bastam as cores fortes. Nos M3 e M4 Competition, tudo reclama atenção. Há algo de exibicionista neles. Desde a enorme grelha dianteira em formato de duplo "rim", vertical, passando pelo tejadilho aerodinâmico em fibra de carbono, pelos ameaçadores quatro saídas de escape traseiras ou pelas jantes de 19"" (à frente) e 20"" (atrás), que ajudam a manter o bom comportamento na estrada.

Predador controlado

Dentro dos "M" Competition, de um e outro, depressa percebemos que tudo no habitáculo está ao serviço do piloto que é suposto sermos. A qualidade dos materiais (em pele e carbono) é irrepreensível e nada falta em termos tecnológicos: ecrã 100% digital, bancos aquecidos e um dos mais completos sistemas de infoentretenimento do mercado.

O "3" em tons de cor-de-laranja e o "4" a privilegiar mais a sobriedade do cinzento, mas ambos focados na eficácia da condução. As baquets desportivas (opcional que custa 3.000 euros) encaixam, literalmente, o corpo e garantem uma posição de condução perfeita. Sem qualquer dúvida. O conforto? Bom, essa mordomia terá de ficar para outras experiências. Não para um ensaio com dois poderosos modelos da BMW.

O som gutural que se ouve, mal se aciona o botão vermelho que liga o motor, não deixa margens para equívocos. E isto seve para o M3 Competition e para o M4 Competition. Foquemo-nos neste último, mas tenhamos presente que as prestações da versão de quatro portas em nada fica a dever ao coupé. Os valores anunciados são iguais. E se, porventura, parecerá um pouco mais domesticado, tal não passará de uma sugestão mental.

Bastam poucos quilómetros para perceber o poder de fogo deste motor com uma potência de 510 cv às 6250 rpm e um binário de 650 Nm entre as 2750 e as 5500 rpm, valores "confiados" às rodas traseiras por intermédio de uma caixa automática de oito velocidades (M Steptronic). De resto, aconselha-se o uso das intuitivas patilhas, colocadas atrás do volante, para uma maior diversão.

Qualquer solicitação do pé direito é entendido e entregue na perfeição. Sem desvios comportamentais nem de trajetória. Sempre em controlo. Se uma analogia for precisa, para melhor enquadrar a questão, digamos que é como passear um predador de quatro rodas pela trela e nunca sentir receio de perder a mão da ação. Também a suspensão adaptativa "M" e os travões com discos de carbono ajudam a lidar com toda esta potência, diga-se.

Os valores anunciados pela marca bávara ajudam a entender com "quem" estamos a lidar. E mais impressionantes do que os 3,9 segundos necessários para cumprir o arranque dos 0 aos 100 km/h, são os escassos 12,5 segundos que precisa para alcançar os 200 km/h. Já agora, refira-se que o M4 Competition está limitado, eletronicamente, aos 290 km/h. Para evitar exageros?

Podemos acreditar que os consumos oficiais de 9 l/100 km sejam humanamente possíveis, nas condições e com a pessoa perfeita. Mas, sejamos honestos, o comum dos mortais (e apreciador dos M Competition) fará melhor contar com médias próximas dos 14 ou 15 l/100 km.

O novo M3 Competition está disponível por um preço que começa nos 120.000 euros, enquanto o M4 Competition eleva esse valor para os 121.000 euros. Mas o coupé ensaiado, graças aos muitos extras presentes, obriga a um investimento financeiro na ordem dos 160.000 euros.

Os veículos elétricos farão o seu caminho seguro na indústria automóvel. Ninguém duvida. Mas é bom saber que os petrolheads ainda têm com o que sonhar.

Bastam poucos quilómetros para perceber o poder de fogo deste motor com uma potência de 510 cv

Mais Notícias

Outras Notícias GMG