Aconteceu em 1942 - "Coelhos e galináceos nas varandas, pátios e quintais"

Campanha lançada pelo governo em 1942, que permitia a criação de animais em casa para fins alimentares, não estava a ter o resultado esperado. O DN foi perceber porquê.

Em 1942, com a Segunda Guerra Mundial em curso e a falta de bens de consumo um pouco por toda a Europa, o DN "ocupou-se" a tentar perceber as razões do insucesso da campanha de produção agrícola lançada pelo Ministério da Economia. Sob o slogan "Capoeira povoada, riqueza amealhada", essa iniciativa do governo visava promover a criação de "animais cuja carne possa ser aproveitada na falta verificada de outras para a nossa alimentação, em especial coelhos e galináceos".

Contudo, poucas pessoas estavam a aderir ao repto, temendo multas, já que as disposições camarárias não permitiam a criação desses animais "muito perto das habitações" em "pátios, varandas ou jardins", o que, escrevia o DN, "contrariava todas as boas vontades".

Foram, assim, pedidos esclarecimentos ao governo, que através do ministro do Interior veio sossegar os portugueses, dando instruções às câmaras para que suspendessem tais proibições "em beneficio do abastecimento público", sendo também determinado que "os serviços de saúde empenhem os seus esforços para que os galinheiros e as coelheiras instalados em habitações por motivos das dificuldades do momento sejam mantidos em condições de limpeza".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG