Os elétricos históricos mostram-se pela Baixa de Lisboa

Seis veículos - o mais antigo data de 1902 - vão sair do Museu da Carris para circular entre a Estação de Santo Amaro e a Praça da Figueira, e volta. É o início da Semana Europeia da Mobilidade.

Tem 116 anos e hoje vai apresentar-se de gala pelas ruas da Baixa de Lisboa. Carreira para cumprir não tem, mas quem o vir na rua pode ficar a conhecê-lo como o 283. É um elétrico, mas não um qualquer. É o único exemplar de carro elétrico aberto que existe na Carris. Entrou ao serviço em 1902 e hoje será o primeiro da fila de seis veículos históricos que vão andar pelos carris da cidade entre a Estação de Santo Amaro (em Alcântara) e a Praça da Figueira. E regresso ao museu.

Serão duas viagens - a primeira de manhã às 11.00 e a segunda a partir das 16.00 e com as reservas de passageiros esgotadas há alguns dias - que vão servir para mostrar os elétricos, agora só estão visíveis no museu da empresa, no dia que marca o início da Semana Europeia da Mobilidade, iniciativa que vai juntar em Portugal mais de 90 localidades em ações de sensibilização para a necessidade de utilizar transportes públicos em detrimento do carro individual.

Para ajudar esta campanha os seis veículos vão andar pela Baixa mostrando como era a frota da empresa municipal de transportes noutras épocas - em que era mais conhecida como Carris de Ferro de Lisboa.

Regressemos então ao 283, o único da sua "espécie" que resiste ao passar dos anos - e que remete para o início deste transporte na cidade -, depois de ter sido retirado do Parque Infantil do Alvito e restaurado.

Tem como característica ser aberto, ou seja sem portas e com umas traves de madeira em todo o redor do carro, o que possibilitava que quando já não havia lugares os passageiros seguissem em pé na parte de fora. Imagem que agora é impossível de acontecer seja nos elétricos remodelados seja nos articulados que percorrem as seis carreiras que existem na cidade.

Escolha de transporte sustentável que agora, depois de alguns anos de ocaso, está a ganhar força com o regresso da ligação entre a Praça Luís de Camões e Campolide, e os projetos da autarquia para alargar o percurso do 15E que sai da Praça da Figueira, até à Cruz Quebrada, num sentido, e a Santa Apolónia e Parque das Nações, noutro.

A câmara estuda ainda a possibilidade de criar uma linha de elétricos rápidos a ligar Entrecampos à Alta de Lisboa.

Mas hoje o dia é do 283 e de mais cinco elétricos antigos que vão passear pela cidade e ser mais um foco de atenção para as milhares de pessoas que se passeiam por Lisboa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG