Premium "Não, não é só a história que preocupa a Polónia, são mesmo as atividades atuais da Rússia"

Entrevista a Jacek Czaputowicz, ministro dos Negócios Estrangeiros da Polónia, que sublinha o sentimento europeísta dos polacos, a vontade do país de assumir protagonismo nos 27 neste pós-Brexit e também a grande importância dada à NATO como garantia de segurança. O DN falou com Czaputowicz em Lisboa, onde veio para um encontro com Augusto Santos Silva, num momento em que Portugal e Polónia partilham interesses em relação ao próximo orçamento da UE.

Recentemente, o presidente de França, Emmanuel Macron, referiu que, com a saída do Reino Unido, a Polónia podia estar mais presente na liderança da União Europeia [UE]. Isto é um grande desafio para a Polónia?
Concordo com essa opinião.

Quando olhamos para a Polónia neste momento, e voltando à questão da saída do Reino Unido, percebemos que é um dos cinco grandes países em termos de população e de território. É possível ambicionar também uma Polónia que seja, um dia, a quinta grande potência económica, com toda a taxa de crescimento que tem tido?
Esse é o nosso objetivo a atingir dentro da União Europeia, quanto ao desenvolvimento económico e quanto ao nível de vida da população. Se mantivermos o nosso atual crescimento, que é à volta dos 5% por ano, e que é superior ao das economias da UE, conseguimos atingir o nível da UE. Mas o papel da Polónia não vem só do tamanho, de ser um país grande, mas também do conceito que representa. A Polónia representa uma visão da UE presente na Europa Central e de Leste, representa os interesses desses países, uma Europa construída em cima de regras económicas saudáveis, uma Europa que se desenvolve, uma Europa aberta para os países vizinhos, para a colaboração transatlântica e para as relações com os Estados Unidos. Assim, imagino que o presidente Macron viu que se existir um entendimento, um acordo entre a França, a Polónia, que no fundo, representa outro grupo de países, e a Alemanha, poderemos ver, estipular, qual será o rumo de desenvolvimento da UE.

Ler mais

Mais Notícias