Premium Um festival de cinema no paraíso mas com distanciamento social

Marvão e a zona espanhola de Valencia de Alcántara são o cenário de um festival de cinema com noites mágicas, o Periferias, na sua oitava edição. Pedro Costa, Elia Suleiman e Leonor Teles são alguns dos cineastas que tiveram filmes neste evento que leva o cinema às aldeias, neste ano com edição "especial" de distância social.

Atravessa-se a fronteira em Marvão e ruma-se a Espanha para a sessão da noite em Carbajo, pequeno pueblo do distrito de Cáceres. A paisagem é escura como o breu, atravessam-se aldeias vazias e depois... caminhos sinuosos. São 22.30, hora espanhola, e na escuridão vê-se um ecrã ao longe. Parece que é o campo da bola de Carbajo. De repente, um drive-in. Algumas dezenas de carros e uma organização com muita gente com coletes refletores e máscaras a ajudar a estacionar. No ecrã está um aviso para se escolher a frequência e todas as regras de prevenção à covid-19.

Esta sessão de autocine, como é traduzido o drive-in em Espanha, é apresentada em castelhano por Paula Duque, colombiana radicada em Marvão e diretora do festival. Ouvem-se no autorrádio palavras do fundamento deste 8.º Festival Internacional de Cine(ma) do Marvão e/y Valencia de Alcántara-Periferias que resumem uma vontade de união e intercâmbio de dois países. "O Periferias é para nos ajudarmos uns aos outros." Aqui, a expressão países irmãos faz sentido e o filme, o documentário vencedor dos Goya, Ara Malikian - Una Vida entre las Cuerdas, de Nata Morena, é recebido com os aplausos dos novos tempos: buzinadelas e sinais de luzes.

Ler mais

Mais Notícias