Premium Jardim Zoológico. Muito mais do que uma coleção de animais

Primeiro zoo da Península Ibérica e um dos mais antigos na Europa, acolhe cerca de 2000 animais de 300 espécies, do imponente elefante-africano às irrequietas suricatas. Além disso, coordena programas internacionais de reprodução e participa em muitos outros projetos, incluindo de reintrodução no habitat natural - papéis importantíssimos do jardim zoológico lisboeta, como revela José Dias Ferreira, curador de mamíferos há já 19 anos.

Inaugurou em 1884, foi declarada instituição (privada) de utilidade pública em 1913. Teve uma das coleções mais diversificadas do mundo graças aos animais vindos do Brasil e de África, mas isso mudou com a descolonização.
Sim, mas nos anos 90 começámos a fazer parte da EAZA, Associação Europeia de Zoos e Aquários, que envolve muitos zoos. Passámos a ser um jardim zoológico certificado, o que significa que somos inspecionados de cinco em cinco anos e cumprimos os requisitos para ter o "carimbo" de qualidade, e a fazer trocas de animais. Houve uma renovação nessa década e mais fortemente nos últimos 15 anos.

Em Portugal, é o único a ter elefantes, por exemplo.
Temos elefantes há mais de 60 anos. A equipa lida há muito tempo com essa espécie ou recebeu formação de pessoas que já cá trabalhavam antes. Cada uma destas espécies tem um trabalho específico, quem trabalha com elefantes não tem necessariamente de saber de primatas. Apesar da polivalência ser boa, a especialização é muito importante.

Ler mais

Mais Notícias