Rei dos Leitões: o rei na mesa

A Mealhada é sinónimo de leitão e motivo de desvio quase certo da A1. Entre os muitos restaurantes, o Rei dos Leitões tenta fazer jus ao nome. Os prémios conquistados assim intuem. Licínia Ferreira conta como tem tentado inovar a oferta no prato e no copo.

Canja de perdiz, ostras, lagosta, javali e arroz de tordos. Embora não pareça à primeira leitura estes são pratos do Rei dos Leitões, um dos restaurantes mais prestigiados da zona Mealhada e que é conhecido, como o nome indica, por servir leitão aos seus clientes.

Como o reinado da qualidade conquistado, há uns anos decidiram inovar a carta e apostar noutras comidas, noutros pratos. E a aposta parece ter sido feliz, que o digam os vários prémios que têm recebido, entre os quais o título de Melhor Restaurante da Europa 2019, pelo Conselho Europeu de Confrarias Enogastronómicas, e ainda o facto de figurar pelo quarto ano consecutivo no Guia Michelin. Sem estrela, é certo, mas entre os melhores restaurantes de Portugal segundo os parâmetros dos exigentes inspetores Michelin.


Mas ao rei, o seu trono. É nos leitões que o restaurante é conhecido. A história começou a 15 de maio de 1947, quando foi assado o primeiro leitão, conta pormenorizadamente, Licínia Ferreira a dona do restaurante que foi fundado pelos seus tios. Aliás, eram estes quem já exploravam o espaço que antes de se dedicar aos leitões era uma tasca local.

O negócio, já na era dos leitões, ainda esteve a cargo dos pais de Licínia, mas foi esta, que praticamente cresceu por ali, que assumiu o negócio há anos.


Nos últimos dez fê-lo em parceria com António Paulo Rodrigues, que deixou o emprego na banca para se dedicar a trazer novas ideias para o restaurante da Mealhada, explica Licínia. "Quando se está há tanto tempo no negócio falta-nos algum distanciamento, e o Paulo [Rodrigues] trouxe novas ideias e disse-nos o que estava mal e o que podíamos fazer de melhor. O Rei dos Leitões era mais um restaurante de estrada como existem tantos outros aqui na Mealhada, mas alargamos a oferta de pratos e de vinho, hoje temos três mil referências, uma adega e duas salas para eventos privados. Recebemos nelas pessoas muito importantes que preferem passar despercebidas", indica.


A culpa será dos Romanos?

O Rei dos Leitões foi o segundo restaurante da Mealhada a dedicar-se à venda, quase exclusiva, de leitões. Não há uma resposta historicamente fiel para se saber a razão do leitão ser o rei da zona. Talvez por excedente de produção, indica-nos Licínia, sem certezas. Ao lado da conversa, um cliente fiel da casa ajuda Licínia Ferreira a encontrar uma resposta. Francisco Batel Marques, que também fornece vinhos e espumantes ao restaurante nas horas vagas que tem como professor da Universidade de Coimbra explica que a informação "pouco fiável" a que teve acesso indica que possa ter a ver com a ocupação romana na zona. "Nas zonas de implementação dos romanos na Península Ibérica há leitão. Acontece aqui e também na Catalunha, por exemplo. Mas não há uma fonte valida e fidedigna sobre o assunto", ressalva.


O Rei não parou com a pandemia

E se tudo corria bem, com uma média de 40 leitões assados por dia, a pandemia da covid-19 trouxe novos desafios. "Descemos na faturação, mas não nos podemos queixar atendendo ao que se passa por aí. Fechamos quando foi obrigatório mas passamos a entregar os leitões a casa do cliente".

Licínia Ferreira, que a partir dos 16 anos começou a trabalhar no Rei dos Leitões, conta orgulhosa que apesar da tal quebra de faturação, a pandemia lhe trouxe novos clientes. "Começamos a entregar leitões para todo o pais e houve um dia em que tínhamos 12 carros a fazer entregas do Minho ao Algarve".

E a diáspora não terminou com a pandemia, diz a proprietária. E agora já com o restaurante aberto, já é normal a logística de entregar leitões da Mealhada noutros locais do país.

"O futuro é continuar a apostar na qualidade e na inovação, é isso que queremos para o futuro do restaurante", conclui Licínia. O rei que, ao que tudo indica, já conquistou os leitões e a Mealhada quer agora quer conquistar mais clientes por outros sabores.

Sobremesa de Reis:

Criado, pensado e feito de propósito para a visita do Diário de Notícias à Mealhada, a chef de pastelaria do Rei dos Leitões, Lídia Ribeiro, 42 anos, criou uma sobremesa especial: uma coroa para celebrar o Dia de Reis. "Inspirei-me nos presentes dos reis magos e criei elementos a fazer lembrar o ouro, incenso e mirra", explicou. Um teste que, se colher a aceitação dos clientes, poderá tornar-se uma nova sobremesa do Rei dos Leitões.

Rei dos Leitões
EN1 Av. Restauração, Nº 17
3050-382 Mealhada
Tel: 231 202 093
Encerra às quartas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG