Exclusivo "Sempre tive essa ambição de cantar no Natal dos Hospitais"

"Temos pena, hoje não dá, estou fechada para balanço." É o refrão do Fado Abananado que Catarina Rocha lançou há um ano mas parece ter sido hoje. Vai voltar a cantá-lo neste Natal dos Hospitais, onde esteve pela primeira vez há um ano.

Um ano depois da sua primeira participação no Natal dos Hospitais, Catarina Rocha explica que foi a concretização de uma ambição, participar num programa que conhecia "desde pequenina". Tinha 25 anos quando se dedicou à vida artística, há oito anos, depois de fazer a licenciatura e o mestrado em Turismo. Uma área que engavetou para se dedicar à música mas que abre de vez em quando para dar a conhecer o seu país aos turistas.

Tem 33 anos e só se tornou profissional da música há oito. Porquê?
Primeiro, tirei o curso de Turismo e o mestrado em Turismo e Desenvolvimento de Negócios, não era o momento para conciliar as duas coisas. A música requer todo o tempo e empenho, reparei nisso quando comecei a fazer os meus álbuns. Requer muito trabalho e dedicação da parte do artista, quando acabei os estudos foi quando decidi dedicar-me a 100% ao fado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG