Samsung prestes a revelar novos topos de gama depois de ano negativo para smartphones

Se tudo bater certo, a Samsung vai apresentar os seus novos smartphones topos de gama já em janeiro, mais cedo do que o habitual. A Apple só deverá mostrar as suas novidades muito mais tarde neste ano.

O Galaxy S21, S21 Plus e S21 Ultra, todos 5G, deverão ser mostrados ao mundo a 14 de janeiro, no primeiro evento Samsung Unpacked do ano. A data coincide com o último dia da feira de eletrónica de consumo CES, que este ano será virtual devido à pandemia de covid-19.

A apresentação dos novos topos de gama logo no início de 2021 é relevante depois de um ano difícil para o mercado mundial de smartphones, que registou grandes quedas. Ainda sem números finais para 2020, a consultora IDC estimou no final de agosto um recuo de quase 10% nas vendas anuais. A pandemia de covid-19 e a recessão económica resultante tiveram um impacto profundo neste sector, que no segundo trimestre afundou 17% antes de recuperar no verão.

A Samsung, que reconquistou a liderança do mercado depois de um trimestre em que a chinesa Huawei ascendera ao topo, conseguiu resistir à contração melhorando ligeiramente as vendas (+2,9%) no terceiro trimestre de 2020. Agora, a marca vai posicionar-se para capitalizar num ano que se espera de recuperação, muito impulsionada pela rede de nova geração e ajudada pelo controlo da pandemia.

"Nos grandes mercados desenvolvidos, é muito claro que o 5G será posicionado para a maioria dos consumidores como o seu próximo telefone, independentemente da marca ou faixa de preço em que estejam focados", explicou Ryan Reith, vice-presidente do Worldwide Mobile Device Trackers da IDC. "O marketing teve um aumento substancial. Os produtos estão amplamente disponíveis. As promoções estão a acontecer. E é claro que a principal iniciativa de vendas neste mercado é impulsionar o 5G." Todavia, ressalvou, "a procura dos consumidores pelo 5G ainda é mínima, o que só aumenta a pressão sobre os canais e fabricantes."

Três novos astros

Depois de uma época festiva marcada pela robustez das vendas online, espera-se que a Samsung renove a sua linha premium com três dispositivos, Galaxy S21, S21 Plus e S21 Ultra. Há bastantes detalhes a circular online sobre as suas especificações e a expectativa é de que a fabricante sul-coreana baixe o preço em mais de 100 euros em relação aos modelos Galaxy S20. O S21, segundo foi avançado pelo WinFuture, vai custar 849 euros, enquanto o S21 Plus custará 1049 euros.

A confirmar-se, isso colocará os novos smartphones premium da Samsung mais perto dos preços da rival Apple, que lançou a gama iPhone 12 em outubro passado.

As informações que circulam apontam para que os novos S21 tenham ecrãs completamente planos, ao invés de curvarem nas pontas como os anteriores. A localização da câmara também será empurrada para a borda. A resolução do ecrã no S21 e S21 Plus vai decrescer face aos antecessores, passando de 3200 x 1440 para 2400 x 1080. As câmaras traseiras terão 12MP e as frontais 10MP, com aparentes mudanças nos sensores. Nas versões europeias dos smartphones, o processador será o Exynos 2100 e as capacidades de armazenamento estarão entre 128GB e 256GB, com 8GB de memória RAM.

A estrela desta galáxia será o S21 Ultra. Consta que terá nada menos que seis câmaras, a parte do hardware em maior destaque, algo que as publicações da especialidade consideram ser um ataque direto ao iPhone 12 Pro Max (considerado pelo The Verge, por exemplo, como tendo a melhor câmara de smartphone do mercado).

O Ultra terá um ecrã de 6,8 polegadas e suporte para a S Pen, a caneta digital da Samsung para dispositivos móveis. É esperado que os novos modelos venham sem carregadores de bateria na caixa, algo que a Apple fez citando desperdício ambiental. Mas, ao contrário dos iPhones, os Galaxy terão o conector universal USB-C, o que significa que poderão ser carregados com qualquer cabo compatível.

Novos iPhones só depois do verão

Ao contrário da Samsung, não se espera que a Apple antecipe o calendário da edição 2021 do iPhone. Não há ainda rumores sobre a nomenclatura que irá usar para os dispositivos, sendo que os mais recentes são o iPhone 12, 12 Mini, 12 Pro e 12 Max.

Segundo o relatório da IDC para o terceiro trimestre de 2020, a marca sofreu uma queda de 10,6% nas vendas e caiu para o 4º lugar do ranking, com 41,6 milhões de iPhones vendidos. A queda foi atribuída ao atraso no lançamento dos novos modelos, que só começaram a ser vendidos no final de outubro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG