Carmen Vicente, de 42 anos, ainda tem dias em que se agarra ao coração e pergunta: 'Porquê eu?'.
Exclusivo

Saúde

Carmen e Paula tiveram o coração parado, mas voltaram à vida

Um dia, sem aviso prévio, o coração parou. Carmen esteve assim 40 minutos e Paula mais de 20, resistindo a quatro paragens seguidas de seis minutos cada. Os médicos não desistiram e elas também não. Foram levadas para o Hospital de São José e ligadas à ECMO. E voltaram à vida...

Entre o momento que a levaram para o bloco operatório de uma clínica privada e o dia em que acordou, entubada, dorida e com marcas da máquina que a salvou, Carmen Vicente nada se recorda. Apenas sabe o que lhe foi dito pelos médicos e pela família. "Tive uma paragem cardiorrespiratória quando estava a fazer uma cirurgia ligeira numa clínica. Logo ali, começaram as manobras de reanimação, chamaram o INEM e trouxeram-me para São José."

Carmen não se envergonha de dizer: "Não sei se sou uma lutadora ou se alguém lutou por mim", referindo-se à equipa médica que a tratou e de quem diz: "Devo-lhes a vida. Estou muito grata por tudo o que me fizeram."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG