Zona franca da Madeira vale 21% do PIB

O Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) foi responsável, ao longo da última década, por 21 por cento de toda a riqueza gerada na Madeira (PIB), garantindo a atividade das empresas 15 por cento da receita fiscal da região.

A Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, a empresa responsável pela gestão da praça e zona franca, elaborou um estudo onde pretendeu comparar os diversos regimes de outras praças financeiras e que são concorrentes diretos da madeirense.

O estudo identifica a existência de 29 mil sociedades na praça de Isle of Man, que contribuem para 45 por cento do PIB desta ilha inglesa e garantindo mais de nove mil postos de trabalho, 23 por cento dos ativos de Man.

Jersey tem 32 mil sociedades na sua zona de tributação especial, com esta atividade a ser responsável por 43 por cento da riqueza gerada, garantindo emprego a 12 mil pessoas, 24 por cento dos ativos da ilha.

No estudo feito, e que comparou os regimes de pequenas economias insulares, Guernsey tinham licenciadas 19 mil sociedades, que eram responsáveis por 39 por cento do PIB local e por 21 por cento do emprego.

Também a economia de Malta depende dos serviços internacionais e de um regime fiscal especial, que atraiu 51 mil sociedades, que garantem 22 por cento da riqueza desta ilha e país, com as empresas a empregar mais de 18 mil pessoas.

Ainda de acordo com o estudo, as empresas do CINM poderiam garantir para o ano (2013) cerca de 80 milhões de euros de IRC, o que permitiria aumentar em 100 por cento a receita resultante da tributação sobre os lucros das empresas, com o pagamento de IVA e do IRS dos trabalhadores a garantir outras dezenas de milhões de euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG