Transferências para o fundo que garante pagamentos de pensões no futuro pararam há quatro meses

As transferências que o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social faz para o fundo que garante o pagamento das pensões no futuro parou há quatro meses, somando menos de 1,4 milhões de euros desde Janeiro.

De acordo com o relatório que quantifica a carteira do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social em Maio, a que a Lusa teve acesso, as transferências que o Estado faz para assegurar o pagamento das pensões e a sustentabilidade da segurança social no futuro pararam em março, mês em que o valor transferido foi de 1,2 milhões de euros, e em Janeiro já não houve lugar a qualquer poupança - em Fevereiro foram transferidos 139 mil euros.

No ano passado, as transferências somaram 223 milhões de euros, o que compara com o valor de 515 milhões em 2009 e 1.091 milhões no ano anterior, quase o dobro da soma de 2007 (633 milhões de euros), de acordo com os documentos a que Lusa teve acesso.

Olhando para as transferências feitas nos últimos 48 meses, constata-se que nunca houve uma ausência de movimentações durante quatro meses seguidos, como acontece atualmente. A única altura em que o FEFSS esteve dois meses sem receber verbas destinadas a assegurar o pagamento das pensões no futuro foi em janeiro e fevereiro de 2007, sendo que em Março desse ano foram transferidos quase 370 milhões de euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG