TGV: Espanha adia concurso de uma das ligações a Lisboa

O Governo espanhol decidiu adiar, por tempo indefinido, a abertura das propostas para o concurso da construção de parte de um dos troços da ligação ferroviária de alta velocidade entre Madrid e Badajoz.

Ainda assim, fonte do Ministério do Fomento espanhol garantiu à Lusa que se trata apenas de um adiamento "técnico" de alguns dias que afectou a vários concursos em curso actualmente.

"O calendário do projecto continua a ser para cumprir, como os dois Governos reafirmaram recentemente", disse a fonte oficial.

A mesma fonte explicou que estão a estudar todos os projectos devido aos cortes orçamentais anunciados pelo Governo espanhol para cumprir as metas de redução do défice e que incluem reduções de mais de seis mil milhões de euros no investimento público até ao final de 2011.

Questionado pelo adiamento, o presidente do Governo regional da Extremadura (Espanha), Guillermo Fernández Vara, afirmou hoje ter o "compromisso do Governo" central que a ligação de alta velocidade entre Madrid e Lisboa "não sofrerá atrasos".

Em declarações aos jornalistas assegurou que "se não se cumprir" ele será o primeiro a chamar a atenção para o problema.

Vara insistiu que se trata de uma "reconsideração temporal até que se reajuste" o plano de investimento em infraestruturas e que o Governo mantém "o compromisso" de que a ligação "não sofrerá atraso".

Acrescentou que pode "entender que haja outras coisas que se podem atrasar" mas que "o AVE (TGV) não)" até porque "os compromissos internacionais não podem estar submetidos ao vai e vem das economias" de cada país.

"Quando a Europa aposta pela comunicação por alta velocidade entre as suas capitais, faz com que essa questão seja prioridade", disse.

"Apesar disso estaremos muito vigilantes para que isso aconteça. É lógico que haja ajustes mas o ministro do Fomento (José Blanco) já anunciou no parlamento que o AVE Madrid-Lisboa não vai sofrer atraso", afirmou.

O adiamento refere-se especificamente a uma plataforma na zona de Alcântara-Garrovilas cujas propostas apresentadas a concurso -- convocado entre 13 e 16 de Março -- e que deveriam ter sido abertas no passado dia 31 de maio.

O Boletim Oficial de Estado (BOE) dá conta desse adiamento explicando que a decisão de adiamento foi tomada pelo presidente da ADIF (Administrador de Infraestruturas Rodoviárias) "por interesse geral".

Não há qualquer indicação de quando a abertura de propostas se realizará já que o próprio BOE explica que essa data será notificada através de uma nova publicação no boletim oficial.

No caso da linha da alta velocidade o troço afectado pelo adiamento, com um orçamento de 106,2 milhões de euros, tem apenas 6,3 quilómetros mas é um dos mais complexos da linha.

Inclui três viadutos, entre eles quase um quilómetro sobre o rio Almonte com um vão central, em forma de arco, de 384 metros, recorde mundial dentro da sua tipologia.

Além deste troço estão actualmente em obras quatro outros, nomeadamente os que ligam Badajoz a Mérida e esta localidade a Cáceres e os entre esta cidade e Talayuela

O projecto de construção continua a ser feito para 94 quilómetros do traçado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG