Stock da Cunha desconhece lista com interessados no Novo Banco

Presidente do Novo Banco diz que o processo "está a ser conduzido" pelo Banco de Portugal.

O presidente do Novo Banco, Eduardo Stock da Cunha, disse hoje que não tem a lista com os interessados na compra da entidade que lidera, lembrando que o processo "está a ser conduzido" pelo Banco de Portugal (BdP).

"Somos apenas uma parte que fornece informação", vincou no parlamento, em declarações aos deputados na comissão de inquérito à gestão do Banco Espírito Santo (BES) e do Grupo Espírito Santo (GES).

O BdP anunciou no último dia de 2014 que foram 17 as entidades a demonstrar interesse no Novo Banco e, na ocasião, a entidade liderada por Carlos Costa realçou que "por motivos de confidencialidade", enquanto promotor da transação, não iria tornar pública a lista dos interessados.

"Não nos foi disponibilizada a lista dos 17 interessados", declarou hoje Stock da Cunha, em resposta a uma pergunta da deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua.

A 03 de agosto passado, o BdP tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.

A comissão de inquérito - que ouve hoje Stock da Cunha e, de tarde, o ex-administrador do BES Angola (BESA) Rui Guerra - arrancou a 17 de novembro passado e tem um prazo total de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado.

Os trabalhos dos parlamentares têm por intuito "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG