SJM de Stanley Ho manteve-se líder de receitas

Os casinos de Macau encerraram março com um recorde de receitas brutas de 31.336 milhões de patacas (3.048 milhões de euros), a maior parte, cerca de 27%, arrecadada pela Sociedade de Jogos de Macau (SJM).

Dados recolhidos pela agência Lusa junto de fontes do setor indicam que a SJM, fundada por Stanley Ho, manteve a liderança do mercado com uma quota de cerca de 27% face aos cerca de 25,5% registados em fevereiro.

O segundo lugar do ranking das operadoras foi ocupado pela empresa norte-americana Sands China, de Sheldon Adelson, com uma quota de cerca de 21%, seguida da Galaxy Resorts, de interesses de Hong Kong, com cerca de 18,5%.

Já a segunda metade da tabela, de acordo com as mesmas fontes, é liderada pela Melco Crown, que tem Lawrence Ho, filho de Stanley Ho, como um dos seus líderes, seguida da Wynn Macau, do norte-americano Steve Wynn, e, por fim, a MGM Macau, que tem como administradora Pansy Ho, também filha de Stanley Ho.

Com a receita de março, os casinos de Macau registam uma receita acumulada desde janeiro de 85.284 milhões de patacas (8.296 milhões de euros), mais 14,8% face a igual período do ano passado.

O setor do jogo em Macau encerrou 2012 com receitas brutas de 305.235 milhões de patacas (29.697 milhões de euros), a maior parte, 304.139 milhões de patacas (29.590 milhões de euros), gerada nos casinos das seis operadoras locais.

No final de 2012, Macau tinha 35 casinos, 20 dos quais geridos pela SJM.

O jogo é a principal fonte de receitas da Administração de Macau que cobra, além de outras taxas e licenças anuais, um imposto direto de 35% sobre as receitas brutas apuradas e um imposto indireto de cerca de 4% para outros fins como a promoção turística.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG