Remunerações das famílias caíram em todos os setores

As remunerações recebidas pelas famílias caíram em todos os setores institucionais da economia portuguesa, tendo esta queda sido mais pronunciada no setor das administrações públicas, de 1,4%, e de 1% para o total das sociedades.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta redução das remunerações no ano terminado no terceiro trimestre acabou no entanto por se compensada pelo aumento de outras componentes do rendimento disponível, levando mesmo a que este apresentasse um crescimento ligeiro (0,2%).

A remuneração dos empregados foi mesmo a única componente em queda, contribuindo negativamente em 0,69 pontos percentuais para o resultado final.

Em destaque está, segundo o INE, o aumento do saldo dos rendimentos de propriedade recebidos pelas famílias (0,46 pontos percentuais) e um aumento dos benefícios sociais recebidos de contribuições sociais pagas (0,11 pontos percentuais).

Este aumento do rendimento disponível junta-se a uma diminuição das despesas de consumo final das famílias de 1% contribuiu ainda para um aumento da taxa de poupança das famílias para 11,2% do rendimento disponível no período de 12 meses terminado no final de setembro deste ano, mais 1,1 pontos percentuais comparando com os 12 meses terminados em junho deste ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG