Quebra de 20% na produção de azeitona para azeite

Pragas afetaram sobretudo os olivais tradicionais e causaram também azeite de qualidade inferior ao normal.

As pragas que afetaram os olivais tradicionais vão provocar uma redução de 20% na produção de azeitona para azeite, cuja qualidade deve ser também inferior ao normal, estimou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nas previsões agrícolas hoje divulgadas, o INE adianta que a atual campanha oleícola se deve fixar nas 507 mil toneladas (634 mil na anterior campanha), ficando ainda assim 5% acima da média dos últimos cinco anos.

A quebra de produção nos olivais intensivos, sujeitos a práticas culturais e cuidados fitossanitários mais adequados, foi menor do que a verificada nos olivais tradicionais, destaca o INE.

A qualidade do azeite produzido foi também afetada pelas condições deficientes de uma parte considerável das azeitonas recebidas nos lagares, ficando a proporção de azeite virgem extra obtido abaixo do normal.

Já a área de cereais de inverno deve manter-se face à campanha anterior.

As baixas temperaturas de dezembro e janeiro, apesar de terem retardado a germinação e crescimento dos cereais semeados nesses meses, beneficiaram o desenvolvimento dos já instalados, perspetivando-se um aumento de produtividade nestas culturas, que na aveia deve rondar os 15%.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG