PT puxa por ganhos no PSI20 da Bolsa de Lisboa

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, seguia hoje a subir 0,90%, em contraciclo com a Europa, com as ações da PT a avançarem 8,5%, reagindo à proposta de fusão com a operadora brasileira brasileira Oi.

Às 08:45, o PSI20 seguia a avançar 0,90%, para 6.027,86 pontos, com nove empresas em terreno positivo, cinco inalteradas e seis negativas.

As ações que mais subiam eram as do Banif, com ganhos de 10%, para 0,11 euros, seguidas dos títulos da PT, que registavam uma subida de 8,5%, para 3,69 euros.

Os ganhos da operadora seguiam a animar as negociações desta manhã, marcada pelo anúncio do acordo de intenções entre a PT e a Oi, que pretende criar uma entidade única liderada por Zeinal Bava.

A nova empresa, a CorpCo, só avançará depois de a fusão ser aprovada por todos os acionistas das operadoras portuguesa e brasileiras, incluindo um aumento de capital na ordem dos 2,3 a 2,7 mil milhões de euros e sujeita à aprovação das entidades de regulação.

A conclusão da transação está prevista para o primeiro semestre do próximo ano.

Ainda no setor das telecomunicações, a Zon/Optimus seguia a perder 0,15%, para 4,52 euros, depois de os acionistas terem aprovado na terça-feira os estatutos da empresa resultante da fusão das duas operadoras com quase 100% dos votos, naquela que foi a primeira assembleia-geral da nova operadora e onde a empresária angolana Isabel dos Santos marcou presença.

Do lado das perdas, o destaque vai para a Jerónimo Martins, que recuava 1,68%, para 14,335 euros, seguido da EDP Renováveis, que deslizava 0,65%, para 14,33 euros.

Lisboa seguia em contraciclo com as principais praças europeias, que seguiam a corrigir dos fortes ganhos da última sessão, com os investidores atentos à evolução da crise política em Itália e às declarações de Mário Draghi no final da reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que deverá manter as taxas inalteradas.

Tanto o euro como o barril de petróleo Brent iniciaram a sessão em baixa no seus respetivos mercados, com a moeda única europeia a cotar nos 1,3522 dólares e o crude de referencia na Europa a negociar no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres a 107,49 dólares, menos 0,45 dólares face ao fecho de terça-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG