Passos admite "reestruturar" IVA para reduzir TSU

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse hoje que espera ter propostas já definidas quanto à redução da Taxa Social Única (TSU) até à apresentação do Orçamento de Estado para 2012.

"Creio que até à apresentação do Orçamento de Estado haverá uma noção muito clara do que vamos fazer", disse Pedro Passos Coelho aos jornalistas portugueses, em Varsóvia, onde se encontra em visita.

"Iremos, a partir de hoje, conversar com o Fundo Monetário Internacional, com a Comissão Europeia e com o Banco Central Europeu sobre as propostas que temos em cima da mesa, e também com os parceiros sociais", adiantou ainda.

Pedro Passos Coelho voltou a sublinhar que o financiamento da redução da TSU, ou seja, as compensações das perdas sofridas pela previdência social com a descida da taxa, "só poderá vir da reestruturação do IVA", porque do lado da despesa "não são possíveis mais cortes adicionais".

"O que queremos é encontrar um nível de execução desta medida para 2012 que não ponha em causa o crescimento da economia", disse.

A descida da TSU é uma das medidas recomendadas pela "troika" para dinamizar a economia portuguesa.

Porém, esta solução tem deparado com a resistência da oposição parlamentar e dos sindicatos, que acusam o novo Governo de querer delapidar as receitas da segurança social para beneficiar o patronato, sem garantias, dizem, de maior emprego ou crescimento económico.

Por seu turno, as confederações patronais consideram que uma descida da TSU só faz sentido se for significativa e consideram uma redução da ordem dos quatro por cento, como o Governo sugeriu no seu programa, demasiado exígua para ter impacto económico.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG