Nobel para três economistas

O Prémio Nobel da Economia foi anunciado em Estocolmo, na Suécia, e distinguiu este ano três economistas: Peter Diamond, Dale Mortensen (Estados Unidos) e Christopher Pissarides (Inglaterra/Chipre).

A Academia sueca premiou este ano três economistas (dois norte-americanos e um cipriota/inglês), destacando as suas teorias sobre as dificuldades no mercado de trabalho num momento de crise em muitos países desenvolvidos, assim como o desencontro entre a oferta e a procura no âmbito laboral.

Diamond, 70 anos, é economista no Massachusetts Institute of Technology, Mortensen, 71 anos, é professor de economia no Northwestern University in Evanston, Illinois, e Pissarides, 62 anos, é professor na London School of Economics, no Reino Unido.

De acordo com a Academia de Ciências Sueca, que anunciou hoje o prémio, o modelo desenvolvido pelos três investigadores - DPM Model - ajudou "a compreender a forma como o desemprego, as ofertas disponíveis e os salários são afectados pelas políticas económicas".

Os laureados criaram modelos matemáticos que constituem a base para estudar como estes processos ocorrem no mundo real.

Estes modelos incidem nos chamados mercados de procura, como é o caso do mercado laboral, nos quais é necessário despender tempo e recursos económicos para que se encontrem a oferta e a procura.

Este processo cria "fricções" na procura, que se traduzem em desempregados insatisfeitos e sem rendimentos, e em postos de trabalho desocupados, o que acaba também por afectar negativamente as empresas. 

De acordo com a Academia, esta teoria - que pode aplicar-se também a outros mercados - é "extremamente útil" para explicar problemas na microeconomia, no consumo das famílias e até no mercado imobiliário.

"As actuais taxas de desemprego são um grande problema em termos de política económica. Os modelos tradicionais não encaixavam bem com a nova realidade derivada da crise", explicou Pissarides contactado telefonicamente pela academia durante a conferência de imprensa.

Os três laureados receberão um prémio monetário no valor total de 10 milhões de coroas suecas (1,1 milhões de euros). 

O ano passado o prémio foi igualmente entregue a dois economistas norte-americanos - Elinor Ostrom (a primeira mulher a receber esta distinção) e Oliver E. Williamson.


Mais Notícias

Outras Notícias GMG