Nobel da Economia nomeado segunda-feira

O laureado deste ano pode ser escolhido entre os autores de estudos sobre a crise económica e financeira

O prémio Nobel da economia será anunciado na segunda-feira, com os economistas portugueses a apostarem em trabalhos sobre a crise económica e financeira, mas a lembrarem que o resultado é imprevisível.

"É provável que a psicologia económica esteja à beira de receber [o Nobel], há coisas muito engraçadas nesta área", disse à agência Lusa João César das Neves, professor da Universidade Católica, autor de um livro sobre os vencedores deste galardão.

Também João Duque, presidente do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), inclina-se para a atribuição do prémio a "economistas com trabalhos na área da ética na economia e nas empresas, sobre a crise económica ou da área financeira" e avança mesmo com a indigitação de Michael Brennan, com vasta investigação na área financeira, como um nome que não estranharia ver distinguido.

No entanto, ambos consideram "imprevisível" qualquer projeção.

No ano passado, o prémio foi atribuído ao mesmo tempo a Oliver Williamson, pelo papel das estruturas empresariais, e a Elinor Ostrom, graças ao trabalho desenvolvido na área da gestão de recursos naturais.

Em 2008, o escolhido foi Paul Krugman, pela sua nova teoria que integra as investigações díspares sobre as trocas comerciais e a geografia económica.

Desde 1969, data em que foi instituído o Prémio Sveriges Riksbank em Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel, mais conhecido como Nobel da Economia, que o galardão já foi atribuído a 64 pessoas. Este título não integra o lote de prémios originais instituídos pelo criador da fundação Nobel.

O 42.º vencedor do Nobel da Economia será conhecido na segunda-feira de manhã.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG