Nestlé suspende venda de produtos de carne de cavalo

A multinacional suíça Nestlé anunciou hoje a retirada dos mercados italiano e espanhol dos seus produtos de massas com carne, depois de ter descoberto vestígios de ADN de cavalo superiores a 1 %.

Em comunicado, a empresa explica que decidiu suspender a distribuição de todos os produtos que contêm carne bovina e fornecidos pela empresa alemã H.J. Schypke, subcontratada pelo seu fornecedor belga JBS Toledo, filial da empresa brasileira na Europa, que também anunciou hoje que vai suspender a venda de carne europeia.

"Os nossos testes revelaram vestígios de ADN de cavalo nos produtos" acima de 1 % que a Agência de Segurança Alimentar britânica considera como um indicador de "adulteração ou grave negligência", refere a nota.

Os produtos retirados dos mercados de Espanha e Itália são os ravióli e 'tortellini' de carne Buitoni. Também foi retirada uma lasanha à bolonhesa produzida em França para os negócios de 'catering'.

A Nestlé garante que não se trata de um assunto de segurança alimentar, mas salienta que o erro na etiquetagem supõe que os produtos "não reúnem as exigências de qualidade muito elevadas que os consumidores esperam de nós".

Nas últimas semanas foi descoberto o uso de carne de cavalo em produtos alimentares comercializados em vários Estados membros da União Europeia, entre os quais Alemanha, França, Reino Unido, Áustria, Noruega, Dinamarca, Holanda, Suíça, Suécia, Irlanda e Bélgica, o que já forçou a retirada de vários produtos dos mercados.

A empresa alemã de distribuição Lidl também anunciou ter suspendido a venda de produtos alimentares que continham carne de cavalo na Suécia, Finlândia, Dinamarca e Bélgica.

As autoridades garantem, no entanto, que estes produtos que contêm carne de cavalo não representam qualquer risco para a saúde humana.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG