Mais de metade dos desempregados não recebe subsídios

Mais de 360 mil pessoas recebiam prestações de desemprego em abril deste ano, o equivalente a 44,3 por cento do número total de desempregados contabilizados pelo Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com os últimos dados disponibilizados na página da Segurança Social (www.seg-social.pt), em abril existiam 362.585 beneficiários de prestações de desemprego, mais 3.212 pessoas do que em março.

Face ao mesmo mês de 2011, o número de beneficiários de prestações de desemprego é superior em 69.330 pessoas.

Os últimos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística contabilizavam no fim do primeiro trimestre deste ano um total de 819,3 mil desempregados, o que fez elevar a taxa de desemprego para os 12,9 por cento, o nível mais alto de sempre.

Os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego (cujo valor médio em abril foi de 532,22 euros), subsídio social de desemprego inicial (331,02 euros), subsídio social de desemprego subsequente (349,39 euros) e prolongamento do subsídio social de desemprego (310,11 euros).

Durante o mês de abril foram deferidos 17.760 subsídios de desemprego.

Do total de beneficiários inscritos na Segurança Social com prestações de desemprego, 129.810 são da região Norte, com destaque para o distrito do Porto, onde foram atribuídos subsídios a 80.051 pessoas.

Lisboa e Vale do Tejo, por sua vez, tinha em abril 112.009 desempregados a receber prestações, dos quais 65.792 em Lisboa e 30.333 em Setúbal.

No Centro, a Segurança Social conferiu 67.859 beneficiários de subsídios de desemprego, com Aveiro a destacar-se, com 21.814 pessoas, respetivamente.

No Algarve, por sua vez, existiam 21.400 beneficiários a receber prestações de desemprego, enquanto no Alentejo foram contabilizadas 14.243 pessoas na mesma situação.

Na Madeira, o número de beneficiários de prestações de desemprego alcançou os 10.031, enquanto nos Açores foi de 7.233.

Os dados da Segurança Social indicam ainda que os homens entre os 55 e os 59 anos são o grupo que recebe mais prestações de desemprego (29.768).

Em termos totais os homens são os maiores beneficiários deste tipo de apoios (com 191.110 subsídios atribuídos até abril).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG