Governo vai vender o BPN ao Banco BIC por 40 milhões

O Ministério das Finanças anunciou hoje, domingo, em comunicado, que a alienação do BPN será negociada em exclusividade com o Banco BIC. Um acordo que implicará o pagamento imediato de 40 milhões de euros ao Estado e prevê a redução para metade dos trabalhadores do BPN.

"O Governo tomou hoje a decisão de seleccionar a proposta do Banco BIC Português, S.A. com vista a negociar, em condições de exclusividade, um acordo para a alienação das acções representativas do capital social do BPN", lê-se no documento remetido às redacções. Segundo o mesmo documento, o processo deverá ficar concluído em 180 dias - seis meses.

O acordo, escreve o Governo, irá implicar a "racionalização" da mão-de-obra do banco, o que significa a dispensa de cerca de metade dos trabalhadores do Banco Português de Negócios: "A proposta apresentada pelo Banco BIC assegura a integração de um mínimo de 750 dos actuais 1.580 colaboradores do BPN", lê-se no comunicado do Ministério das Finanças.

"Serão suportados pelo Estado os custos com a eventual cessação dos vínculos laborais dos trabalhadores das agências e/ou centros de empresa que venham a ser encerrados ou reestruturados num prazo máximo de 120 dias após a data de transmissão das acções", segundo o documento.

O valor do negócio, de 40 milhões de euros "a realizar na data de transmissão das acções", poderá subir "caso o banco apresente um resultado acumulado líquido de impostos superior a 60 milhões de euros ao final de 5 anos após a data da transacção". Nesse caso, será pago ao Estado "uma percentagem de 20% sobre o respectivo excedente, a título de acréscimo de preço".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG