Economia portuguesa cresceu 0,6%

A economia portuguesa cresceu 0,6% no segundo trimestre face ao primeiro e 0,8% face a igual período do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A estimativa rápida divulgada hoje pelo Instituto mostra, assim, que a economia portuguesa desacelerou em termos homólogos já que no primeiro trimestre do ano havia crescido 1,3%. Já na evolução em cadeia, a economia voltou a crescer quando no primeiro trimestre tinha recuado 0,6%.

"O Produto Interno Bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 0,8% em volume no 2º trimestre de 2014, após a variação de 1,3% observada no 1º trimestre, de acordo com a estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais", lê-se nos dados hoje divulgados pelo INE.

A justificar o abrandamento da economia em termos homólogos esteve um contributo menos intenso do investimento enquanto a procura externa foi menos negativa.

"A procura interna apresentou um contributo positivo menos intenso para a variação homóloga do PIB no 2º trimestre, refletindo sobretudo a evolução do Investimento", sublinha o INE, adiantando que, do lado contrário, "a procura externa líquida registou um contributo negativo menos significativo (...) devido ao abrandamento das Importações de Bens e Serviços, tendo as Exportações de Bens e Serviços desacelerado".

Para justificar a subida do PIB de 0,6% em cadeia face ao recuo de 0,6% no primeiro trimestre, o INE destaca o aumento das exportações de bens e serviços.

O INE dá ainda conta que as estimativas hoje divulgadas incorporam revisões de informação de base, nomeadamente, "decorrentes da utilização dos dados mais recentes do comércio internacional de bens, com revisões em termos nominais e ao nível dos deflatores para o 1º trimestre de 2014".

Adicionalmente, prossegue o Instituto, "foi incorporada uma revisão em alta da estimativa do consumo público para o conjunto do ano de 2014, com a integração dos dados mais recentes da execução orçamental".

Apesar destas novas informações, o INE refere que as mesmas não levaram a revisões dos dados do primeiro trimestre, período em que a economia recuou 0,6% em cadeia e cresceu 1,3% em termos homólogos.

Os dados hoje divulgados pelo INE são uma estimativa rápida relativa ao segundo trimestre e terão ainda de ser confirmados, previsivelmente a 8 de setembro. Nessa data a divulgação das Contas Nacionais Trimestrais já será feita ao abrigo do novo Sistema Europeu de Contas 2010.

As previsões do Governo para 2014 apontam para um crescimento anual de 1,2%, uma previsão realizada na 11ª avaliação da 'troika', já que a proposta de Orçamento do Estado para 2014 previa um crescimento de 0,8%. Nos últimos três anos a economia portuguesa apresentou sempre taxas de crescimento anual negativas, de -1,3% em 2011, -3,2% em 2012 e -1,4% no ano passado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG