Estado admite pagar salário zero a funcionários públicos

O governo já confirmou que os trabalhadores em mobilidade especial que não forem recolocados na administração pública terão duas opções: escolher uma licença sem vencimento ou rescindir com o Estado.

Como o secretário de Estado Hélder Rosalino admitiu ontem em entrevista à RTP, os trabalhadores que forem passados para o novo quadro de mobilidade especial terão 18 meses para tentar um novo posto, mas caso isto não aconteça ou ficam num regime de vínculo sem retribuição ou optam pela cessação do contrato de trabalho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG