Corte na função pública maior do que dizem Finanças

O plano de redução de recursos humanos nas Administrações Públicas será muito superior aos 40 mil postos de trabalho a eliminar até ao final de 2014, como disseram ontem as Finanças.

É que este universo diz respeito apenas aos "efetivos", os trabalhadores do quadro. Fontes governamentais indicam que o número global deverá chegar facilmente a 55 mil por causa das metas que apontam para o afastamento de outros 10 a 15 mil contratados, e isto só em 2013. Mas sobre isto as Finanças recusam falar. Não confirmam números e garante apenas que a redução de contratados será "bastante inferior" a 40 mil trabalhadores a prazo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG