Despesa com subsídios de desemprego aumentou 33% em janeiro

O Estado gastou mais 33,2% em subsídios de desemprego e apoio ao emprego em janeiro deste ano face ao período homólogo, num total de 255,9 milhões de euros, segundo números hoje divulgados pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Na síntese de execução orçamental de janeiro, a DGO indica que entre as prestações sociais que mais aumentaram destaca-se, de longe, o subsídio de desemprego, que custou aos cofres da Segurança Social 255,9 milhões no primeiro mês deste ano, depois de em janeiro de 2012 ter representado uma despesa de 192,1 milhões de euros.

Segundo as novas estimativas de Bruxelas, hoje publicadas pela Comissão Europeia, a taxa de desemprego em Portugal deve chegar os 17,3% este ano e baixar apenas para 16,8% em 2014.

No total, as despesas da Segurança Social aumentaram 7,8%, passando dos 1.787,8 milhões em janeiro de 2012 para os 1.927,1 milhões no mesmo mês de 2013.

À exceção do Rendimento Social de Inserção (-17,2%), do Complemento Solidário para Idosos (-2,2%), dos apoios aos antigos combatentes (-83,4%) e da ação social (-0,5%), todas as outras prestações sociais aumentaram em janeiro deste ano em termos homólogos.

No primeiro mês de 2013, o Estado gastou 836,9 milhões de euros em pensões de velhice (+2.9%), 148,5 milhões de euros em pensões de sobrevivência (+3%) e 101 milhões em pensões de invalidez (+0,1%).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG