Clima económico e confiança dos consumidores voltam a piorar

O indicador de clima económico e a confiança dos consumidores continuaram a agravar-se em dezembro em Portugal, mas a queda foi menos intensa do que nos meses anteriores, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) "diminuiu nos últimos meses, atingindo em dezembro um novo mínimo da série", alcançando os -59,8 pontos.

"A diminuição em dezembro foi, no entanto, menos intensa do que a verificada nos meses anteriores", acrescenta.

O indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade), por sua vez, agravou-se uma décima para os 4,4 pontos.

Desde janeiro que a confiança dos consumidores vinha a melhorar todos os meses, mas em setembro sofreu uma quebra abrupta, em dezembro esta quebra agravou-se mais ainda, estabelecendo um recorde negativo.

Os indicadores de confiança do INE são calculados através de médias móveis de três meses dos saldos de respostas extremas a inquéritos. Um número negativo significa que houve mais respostas pessimistas do que otimistas.

Segundo o INE, "a diminuição do indicador de confiança dos consumidores em dezembro, menos intensa do que a verificada nos meses anteriores, deveu-se aos contributos negativos de todas as componentes, com exceção das perspetivas de evolução da poupança".

"O saldo das expectativas sobre a evolução da situação económica do país apresentou o contributo negativo mais significativo para o comportamento do indicador de confiança, diminuindo significativamente nos últimos quatro meses", refere o instituto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG