CGD poderá continuar a apresentar prejuízos

O presidente não executivo da Caixa Geral de Depósitos (CGD) disse hoje, no Parlamento, que o principal problema do banco público é a rentabilidade e deverá continuar a apresentar prejuízos até final de 2013.

Considerando que a CGD tem hoje uma situação "confortável" em termos de liquidez e solvência, Faria de Oliveira afirmou que atualmente o principal problema com que a instituição se bate são os resultados negativos.

"O problema da instituição é a rentabilidade", disse hoje o 'chairman' do banco público na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas.

Faria de Oliveira atribuiu os resultados negativos da CGD à situação da economia portuguesa, com o aumento do incumprimento de crédito, assim como à pressão sobre a margem financeira (sobretudo devido aos baixos 'spreads' praticados no passado) e também às exigências dos reguladores.

Segundo Faria de Oliveira, o comportamento da CGD não é independente das restantes instituições do setor e considerou que "até 2014" os "resultados globais" das instituições bancárias serão "negativos".

Quando ao banco público, Faria de Oliveira especificou que a CGD "não poderá deixar de passar por uma fase onde é muito provável que os resultados sejam negativos" e estimou que esse período dure "até final 2013".

A CGD deverá fechar 2012 com prejuízos pelo segundo ano consecutivo, depois dos 488,4 milhões de resultados negativos apresentados em 2011. Este ano, em setembro, o banco apresentou prejuízos de 130 milhões de euros no acumulado dos primeiros nove meses do ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG