Barroso: Margem orçamental para o crescimento é pequena

Durão Barroso admitiu ontem, em Bruxelas, que a "margem orçamental" para relançar o crescimento sustentável "é muito pequena".

"Estamos a procurar, com a pouca margem orçamental disponível, porque é muito pequena, encontrar programas que possam, por um lado, mitigar os efeitos negativos de algumas medidas que são indispensáveis", admitiu o presidente da Comissão Europeia.

Por outro lado, Barroso quer "relançar as bases para um crescimento sustentável".

"Não pode ser um crescimento qualquer. Porque já vimos no passado o que deu um crescimento que não era sustentável", enfatizou no final da cimeira de líderes europeus.

Nesta matéria, a Comissão propôs aos 27 as chamadas "obrigações para o crescimento".

"São obrigações em que, com alguns fundos estruturais, usando com efeito de alavanca o Banco Europeu de Investimento, podemos mobilizar financiamento privado para projectos de infraestruturas na Europa, nomeadamente no sector do transporte, da energia e da economia digital", explicou Barroso.

Por agora, a "consolidação orçamental tem de continuar" em países como Portugal, que "têm um programa e que continuam ainda bastante vulneráveis às percepções dos investidores e dos mercados", defendeu.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG