Almunia: Portugal deve receber a China de braços abertos

Portugal deve receber o interesse dos investidores chineses em bancos e empresas nacionais de braços abertos, já que está a beneficiar da ajuda financeira deste país, que tem comprado dívida pública nos leilões e operações de venda directa, é o que defende Joaquin Almunia.

Esta foi o conselho do vice-presidente da Comissão Europeia, Joaquin Almunia, na conferência "Europa 2011: Regulação e Competitividade", organizada pelo "Jornal de Negócios".

O também comissário europeu para a concorrência diz que "não é racional que Portugal e os países europeus adoptem uma postura proteccionista face a interesses de países como a China ou países emergentes em activos reais e portfólios em empresas europeias quando, por outro lado, os países europeus estão a beneficiar de grandes fluxos financeiros e do interesses destes países na dívida pública europeia".

Em conferência de imprensa, Joaquim Almunia prometeu novidades nas próximas semanas relativamente ao fundo monetário europeu. O comissário espanhol disse que o fundo europeu de resgate - que já está a ser utilizado pela Grécia e Irlanda - "vai vai poder utilizar-se de forma mais flexível e terá mais capacidade financeira".

A Alemanha sempre se mostrou muito reticente relativamente ao reforço deste fundo. Confrontado pelo DN com este facto, o comissário garantiu que "neste momento a Alemanha não tem uma posição dura relativamente a este assunto". Ou seja, a Alemanha não deverá levantar obstáculos relativamente a este ponto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG