Ministro da tutela assiste hoje ao primeiro apagão

O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, os presidentes da PT e da Anacom marcam hoje presença na cerimónia de desligamento do sinal analógico do emissor de Palmela, o primeiro passo para entrada da TDT em Portugal.

Dez anos depois da primeira tentativa da Televisão Digital Terrestre (TDT) ter falhado, Portugal assiste ao 'switch-off' das emissões analógicas do emissor de Palmela e dos retransmissores de Alcácer do Sal, Melidades e Sesimbra.

A cerimónia do 'apagão' do emissor de Palmela, cujo sinal é desligado às 11:45, conta com a presença do ministro da tutela, do presidente executivo da Portugal Telecom, Zeinal Bava, que representa a operadora que gere a rede TDT, e do presidente do regulador Anacom, Amado da Silva.

Assim, os cidadãos terão de ter um descodificador para poderem ver os quatro canais gratuitos - RTP1, RTP2, SIC e TVI - agora em sinal digital, o que permite uma melhor qualidade de imagem e de som.

Ao contrário dos outros paíse europeus, Portugal continental só vai ter quatro canais na TDT, enquanto as ilhas vão ter cinco, uma vez que inclui a RTP Açores e a RTP Madeira, por falta de interesse das operadoras de televisão.

Esta fase do desligamento decorre até 22 de março e neste período os emissores irão sendo desligados gradualmente.

Durante esta fase irão manter-se em funcionamento quatro emissores - Monte da Virgem, Montejunto, Marão e Lousã - por razões técnicas, os quais só serão desligados a 26 de abril, altura em que se dá o 'switch-off' total.

A 23 de janeiro serão desligados os emissores da Fóia, Monchique, e os retransmissores de Santiago do Cacém, Cercal do Alentejo, Odemira, Odeceixe, Monchique, Aljezur e Silves.

A 01 de fevereiro será a vez do emissor de Monsanto, Lisboa, e os retransmissores do Areeiro, Barcarena, Caparica, Carvalhal, Cheleiros, Estoril, Graça, Montemor-o-Novo, Odivelas, Sintra, Malveira, Sobral de Monte Agraço, Coruche e Cabeção.

Doze dias depois será a vez do fim do sinal analógico do emissor de Reguengo do Fetal e dos retransmissores de Vale de Santarém, Sobral da Lagoa, Mira de Aire, Candeeiros, Alcaria, Tomar, Ourém, Caranguejeira, Leiria, Alvaiázere, Avelar, Pombal, Castanheira de Pera, Espinhal, Senhora do Circo, Padrão, Ceira dos Vales, Vale de Açôr, Vila Nova de Ceira, Coimbra, Caneiro, Cidreira, Lorvão, Penacova, Mortágua, Avô e Benfeita.

O último momento da primeira fase acontece a 23 de fevereiro, com o fim das transmissões analógicas do emissor de São Macário e dos retransmissores de Préstimo, Viseu, Cedrim, Vouzela, Vale de Cambra, Covas do Monte, Santa Maria da Feira, Arouca, Rio Arda, Lalim, Vila Nova de Gaia, Foz, Valongo, Santo Tirso, Caldas de Vizela, Caldas de Vizela II, Amarante, Gondar, São Domingos, Ancede, Caldas de Aregos, Resende, Lamego e Santa Marta de Penaguião.

A partir de 22 de março arranca a segunda fase, com a cessação dos emissores e retransmissores das regiões autónomas dos Açores e da Madeira. A última fase acontece a 26 de abril, altura em as transmissões analógicas do restante território continental serão desligadas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG