Testemunha diz que BPN já estava falido em 2002

Paulo Silva, primeira testemunha do julgamento de José Oliveira Costa revelou que os arguidos usaram "offshores" para esconder prejuízos e controlar o banco.

O "Jornal de Negócios" escreve que o universo da Sociedade Lusa de Negócios, que controlava o Banco Português de Negócios (BPN) já estava tecnicamente falido em 2001 e 2002, segundo afirmou Paulo Silva, testemunha no julgamento do antigo presidente da instituição financeira, José Oliveira Costa.

O inspector de Finanças de Braga acrescentou que as perdas não cobertas superavam, na altura, mais de metade do capital do banco e do grupo. O buraco escondido numa sociedade "offshore" já superava 190 milhões de euros. Este montante de perdas não cobertas "ultrapassavam mais de 50% do capital do banco e do grupo. Se tivesse sido descoberto levaria ao desmoronar do próprio grupo", afirmou Paulo Silva.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG