PSD citou dados que Passos disse serem segredo de Estado

Uma primeira versão do relatório da comissão parlamentar que analisou os serviços secretos portugueses referia que os deputados tiveram acesso a dados que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou estarem sobre segredo de Estado. Na versão final, porém, essa informação foi apagada.

Esta é a segunda contradição entre os dois documentos que o jornal "Público" noticia. Ontem, o mesmo jornal referira que na versão de 28 de Outubro a vice-presidente da bancada do PSD, Teresa Leal Coelho, indicara existerem ligações à maçonaria de Jorge Silva Carvalho, ex-director do Serrviço de Informações Estratégicas de Defesa, que agora trabalha na empresa Ongoing. Essa referência foi, entretanto, e segundo o "Público", retirada na versão final do documento.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG