Procurador do caso BPN pode estar de saída

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) corre o risco de perder o seu principal investigador, que tem em mãos processos como o do BPN.

Na sexta-feira, Rosário Teixeira não gostou de ouvir a procuradora-geral da Reública anunciar um inquérito disciplinar contra si, o colega também titular de investigações com Angola, Paulo Gonçalves e a diretora cessante do DCIAP, Cândida Almeida. Nesta segunda-feira, Rosário Teixeira dirigiu-se aos colegas num discurso entendido como despedida.

"Esperemos que quem vier faça melhor do que eu, que acuse ou arquive. Até aqui, dava-nos um pau e uma cenoura e, agora, o pau tornou-se incomportavelmente maior do que a cenoura", terá afirmado Rosário Teixeira, segundo relato feito ao "Jornal de Notícias" por uma testemunha, e que seria reproduzido ao longo do dia de ontem por outras fontes do Ministério Público.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG