PGR angolano investigado em Portugal

DCIAP quer esclarecer uma transferência de 93 mil dólares de uma empresa offshore para uma conta de João Maria de Sousa.

O semanário "Sol" escreve na sua edição de hoje que "João Maria Sousa, procurador-geral da República de Angola, é o alvo do processo 1764/11 que corre no Departamento Central de Investigação e Acção Penal. O PGR angolano estará a ser investigado por suspeitas de fraude e branqueamento de capitais, depois de o Banco de Portugal ter sido alertado pelo Santander Totta, na sequência de um depósito feito por uma empresa offshore. A investigação, que está neste momento na fase inicial e ainda não foi convertida em processo-crime, já motivou o envio de perguntas para a alta figura da justiça angolana, o que provocou grande desconforto em Luanda. Paulo Portas tem dado especial atenção às investigações sobre Angola, para evitar o reacender de conflitos diplomáticos".

Segundo o semanário, "João Maria de Sousa terá transferido para uma conta do Santander Totta em Portugal um depósito de 93 mil dólares (70,3 mil euros) de uma empresa offshore, a Spiral Enterprises. O pagamento terá sido feito través de uma conta do Banco Comercial Português de Cayman, com sede no paraíso fiscal das ilhas Caimão".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG