Jovens fogem mais de casa com a crise

Escapuliram-se de casa mais adolescentes em 2013. Do total de 60 casos chegados à Linha SOS Criança Desaparecida, 34 dizem respeito a fugas. Também no ano passado, a GNR registou 277 desaparecimentos. Alguns são raptados por um dos pais mas a maioria foge em busca de liberdade.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "a pedopsiquiatra Ana Vasconcelos vê neste crescendo um reflexo das dificuldades económicas, agitadoras dos conflitos familiares. "Quando a casa não tem um ambiente contentor de que os adolescentes precisam, quando os pais não conseguem oferecer-lhes isso, já que eles próprios estão desamparados, o adolescente fica sem bússola". O argumento é desdobrado: "Muitas, vezes, o jovem transforma-se no consolo dos pais e invertem-se os papéis, ficando aquele sobrecarregado. O psicólogo Armando Afonso relaciona igualmente este tipo de drama com falhas no "porto de abrigo", um local que "deve transmitir aconchego, segurança e afeto, e que, no entanto, em muitos casos e devido a muitos fatores não funciona dessa maneira".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG