Governo aposta na telemedicina

Ter uma consulta marcada para o cardiologista ou o neurologista no Serviço Nacional de Saúde vai deixar de significar ir ao hospital ter com o médico.

De acordo com a edição de hoje do jornal "i", o ministério da Saúde deu ordem às unidades para aumentarem as consultas à distância, formato que deverá passar a ser o modelo preferencial para algumas especialidades nas situações em que o doente já foi visto uma primeira vez pelo médico especialista.

As instruções foram publicadas ontem em Diário da República. O Governo defende que intensificar a telemedicina no SNS permitirá aumentar o acesso a consultas de especialidade, maior equidade e maior proximidade entre utentes e profissionais, ao mesmo tempo que reduzem custos em transportes ou ligados ao absentismo. Isto porque os doentes não se terão de deslocar ao hospital do médico: os serviços farão a ligação e o doente é visto à distância.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG