Ferrostaal acusada de falsificação de documentos

Num recurso apresentado no tribunal, A. Correia juntou documentos que serviram para acusar a empresa de alegadas ilegalidades, desde falsas declarações a fugas às contribuições para a Segurança Social.

Um ex-funcionário da Man Roland Portugal, uma empresa que integrava a poderosa multinacional Man Ferrostaal (grupo que fazia parte do consórcio alemão que vendeu dois submarinos a Portugal), acusa a firma de ter falsificado documentos, ter prestado falsas declarações em tribunal, ter duplicado despesas na sua contabilidade e não ter declarado parte dos rendimentos do colaborador à Segurança Social.

As acusações são feitas por escrito num recurso extraordinário a que o jornal "Público" teve acesso e que foi interposto em novembro de 2012 no Tribunal do Trabalho da Maia. O recurso foi acompanhado de um avultado conjunto de documentos, alguns dos quais nunca foram analisados em tribunal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG