Falso padre vai preso por burlar pároco em 7200 euros

três anos e três meses de prisão foi a pena aplicada a Agostinho por burla de 7200 euros.

O "Jornal de Notícias" escreve hoje que "o falso padre que burlou o pároco da igreja de Senhora-a-Branca, em Braga, foi ontem condenado a três anos e três meses de prisão efetiva pelo Tribunal Judicial. Mas vai passar sete ou mais anos na cadeia, já que tem uma pena de três anos e meio para cumprir e está a ser julgado por crimes semelhantes em Lisboa".

Segundo o jornal, "o coletivo de juízes deu como provados os crimes de burla qualificada, a que atribuiu a pena de dois anos se seis meses, e de furto qualificado, a que deu a de um ano e seis meses. A pena final resulta do cúmulo jurídico das penas".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG