Escola ignora tortura a aluno

Nélson foi despido e humilhado no recreio. Dois dias depois, suicidou-se. Inspeção da Educação investiga o caso.

O "Correio da Manhã" escreve hoje que "a direção da escola fala de "uma brincadeira", mas o caso foi grave. Na quinta-feira, dia 9, os agressores de Nélson Antunes, de 15 anos, puseram-no em tronco nu norecreio, baixaram-lhe as calças e deram-lhe palmadas no rabo. A verdadeira dimensão do incidente não terá chegado ao conhecimento dos responsáveis da EB 2,3 de Palmeira, em Braga, mas está a ser investigado pela inspeção-Geral de Educação e Ciência. "A escola teve conhecimento de uma brincadeira no dia 9 e está a averiguar", disse Fausto Farinha, diretor do agrupamento. Só que, dois dias depois, Nélson pôs termo à visa, enforcando-se numa árvora perto de casa".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG