DCIAP quer constituir Alberto João Jardim como arguido

PGR entende que não é necessário o levantamento da imunidade do líder madeirense para ouvi-lo como suspeito.

O "jornal i" escreve hoje que "o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), liderado pela procuradora Cândida Almeida, quer que Alberto João Jardim seja constituído arguido no processo das contas da Madeira". Ao que o jornal apurou, "as procuradoras Auristela Pereira e Carla Dias entendem ter indícios suficientemente fortes para ouvir o presidente do Governo Regional da Madeira como suspeito de ter colaboradp na omissão deliberada da dívida ao Ministério das Finanças e Instituto Nacional de Estatística no valor de 1,6 mil milhões de euros".

Segundo o jornal, "a Procuradoria-Geral da República entende que Alberto João Jardim pode ser notificado diretamente pelo DCIAP para ser ouvido em inquérito.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG