Chairman do Banif não se "chocaria" com gestão do Estado

Na primeira entrevista enquanto chairman, Luís Amado diz que a estrutura do Banif foi decapitada no momento em que mais precisava de estabilidade.

O presidente do conselho de administração do Banif e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do governo de José Sócrates recebeu o "Diário Económico" na sede do banco e falou sobre a entrada do Estado no capital e sobre a procura de novos acionistas no aumento do capital que se avizinha. Recusa veemente quaisquer cooperações com o BPN e o BPP.

Para Luís Amado, "o banco, de alguma forma, foi condicionado pelo passado, pela falta de liderança efetiva num momento em que eram precisas grandes decisões de reestruturação e de adaptação à mudança de ambiente em que a instituição vivia". O chairman diz ainda que "qualquer comparação com outras situações, que nada têm a ver com a situação do Banif são maliciosas e não devem ser tidas em conta".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG