BPN livra Cadilhe de corte na pensão

Ex-ministro impôs o pagamento de 10,8 milhões, valor equivalente à reforma vitalícia do BCP, como condição para presidir ao banco, diz o 'Correio da Manhã'.

"O BPN salvou Miguel Cadilhe de ter um corte na reforma a que tinha direito no BCP, onde foi administrador no início de 2000. Para aceitar a presidência do Grupo BPN/Sociedade Lusa de Negócios, em julho de 2008, Cadilhe impôs como condição não perder a pensão vitalícia do BPN. Por esse motivo, o BPN pagou a MIguel Cadilhe 10,8 milhões de euros brutos, valor equivalente à reforma vitalícia a que tinha direito", escreve o 'Correio da Manhã'.

Em declarações ao jornal, o ex-ministro das Finanças confirmou o valor, mas fez questão de frisar que se trata de um montante bruto, "sujeito a IRS". "Se eu aceitasse ir para outra instituição financeira, tinah perdido os direitos adquiridos no BCP", explicou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG