BCP paga mais a quem aceitar sair em três semanas

Trabalhadores que rescindam nas primeiras semanas do programa recebem 1,6 salários por ano contra 1,5 salários para os restantes.

O "Jornal de Negócios" escreve hoje que "o entendimento sobre cortes salariais temporários alcançado pelo Banco Comercial Português e principais sindicatos bancários, no último dia de 2013, prevê o pagamento de indemnizações mais elevadas aos trabalhadores que aceitem sair da instituição na primeira fase do programa de rescisões amigáveis a lançar no curto prazo. Os colaboradores que negociarem a desvinculação nas primeiras três semanas do processo terão direito a receber 1,6 salários por cada ano de trabalho. Findo este prazo, a indemnização não ultrapassará 1,5 remunerações mensais efetivas".

Segundo o jornal, "no máximo, o BCP pretenderá reduzir o seu quadro de pessoal em 1.200 trabalhadores com o programa de rescisões por mútuo acordo e reformas antecipadas a concretizar em paralelo ao plano de cortes salariais temporários entre 3% e 11% a vigorar, no limite, até final de2017".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG