A cada cinco horas desaparece uma criança

São cerca de dois mil, em média, as crianças e adolescentes que desaparecem todos os anos em Portugal. Ou seja, a cada cinco horas, as autoridades recebem uma queixa. Hoje, faz 15 anos que ninguém sabe de Rui Pedro.

A maioria dos casos de desaparecimento são fugas em que os menores são encontrados, mas há também aqueles que nunca são localizados, como foi o caso do Rui Pedro, de Lousada. Hoje, o Tribunal da Relação do Porto comunica a decisão sobre o recurso interposto pela família e pelo Ministério Público.

Para além de Rui Pedro, relata o "Jornal de Notícias", há mais crianças que desapareceram e a crise económica pode vir a aumentar o número de menores que são encaminhados para redes mafiosas de tráfico, já que o negócio movimenta, todos os anos, no mundo, cerca de 12 mil milhões de dólares. Nos primeiros seis meses de 2012, 892 processos de menores desaparecidos foram iniciados e no ano anterior foram contabilizados 2842 casos.

Segundo Patrícia Cipriano, presidente da Associação Portuguesa das Crianças Desaparecidas, "nos anos 90 desapareceram várias crianças em Portugal que nunca foram encontradas (o Rui Pedro, o Rui Pereira, O Jorge Sepúlveda)... Para nós esta coincidência temporal e nas características físicas e etárias destes meninos leva-nos à tese de que poderia haver um ou mais angariadores em Portugal que os raptavam para os entregar a uma rede transnacional", explica.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG