"É fundamental mudar a atitude sobre a política"

É mais conhecido do grande público como dirigente do Bloco de Esquerda do que como historiador, mesmo sendo esta é a sua profissão. Radical na análise e na crítica da classe política que 'governa' a União Europeia, surpreende ao elogiar o Marquês de Pombal.

Acha necessário politizar os jovens, apesar de considerar que as suas lutas de juventude levaram os jovens para o sectarismo. "É fundamental mudar a atitude sobre a política, porque não há soluções fora dela. Tudo é política: o ordenado ao fim do mês; se se tem subsídio de Natal ao fim do ano; se têm emprego ou não. Há uma tarefa de politização dos jovens por parte da esquerda, falo do ponto de vista em que me coloco, que é absolutamente central para conquistar os jovens para uma alternativa em termos de sociedade", diz.

Fernando Rosas considera ainda que "os nossos jovens olham para o Salazar como olham para o Marquês de Pombal, é uma coisa que está lá longe!" Acrescenta ainda que "a experiência da ditadura já nem lhes é passada em primeira mão pelos pais, é pelos avós".

A propósito do seu livro, "Lisboa Revolucionária", o historiador defende: "O que aconteceu no Norte de África tende a passar para a Europa do Sul. E na Grécia já se percebeu isso. A persistir-se nesta estratégia de resposta à crise nas economias periféricas está-se a criar uma situação própria para explosões sociais e políticas. É inevitável que o Norte de África tenda a passar para o Sul da Europa". Leia a entrevista na íntegra no e-paper do DN.

31 entrevistas em Agosto é uma rubrica do "Made in Portugal": durante os 31 dias deste mês de Agosto o DN publicará 31 entrevistas a figuras portuguesas, que falarão do País que temos e daquele que queremos. Todas as entrevistas serão conduzidas pelo jornalista João Céu e Silva. AMANHÃ: José Miguel Júdice

Mais Notícias

Outras Notícias GMG