Renato Seabra é vigiado 24 horas por dia no hospital

O suspeito de ter assassinado Carlos Castro acorda e deita-se cedo na cela individual e só tem direito a 30 minutos de convívio.

Depois de ter enfrentado o juiz pela primeira vez, na terça-feira, numa audiência em que se declarou inocente, Renato Seabra voltou para o Hospital Bellevue, em Nova Iorque, onde se encontra detido desde 8 de Janeiro após ter confessado que assassinou Carlos Castro.

O manequim de 21 anos encontra-se na ala prisional daquela unidade hospitalar, dada a necessidade de supervisão médica, na sequência das alegações apresentadas contra ele. O acompanhamento médico é feito por psicólogos e psiquiatras, que entre si determinarão quando é que Renato poderá ser transferido para uma unidade prisional nova-iorquina, embora não se saiba ainda quando é que isso poderá acontecer.

A rotina diária do jovem português no Hospital Bellevue começa por volta das 07.00, quando um despertar colectivo é accionado, seguindo-se um período para a higiene pessoal. Depois vem o pequeno-almoço. Mesmo nestas pequenas acções, a monitorização é permanente, pois os médicos procuram em cada acto explicações para o seu comportamento.

Durante a manhã, o jovem realiza vários testes do foro clínico, sendo normalmente o almoço servido pelas 11.45, seguindo-se um período de recolha obrigatório, altura em que regressa à sua cela individual.

Da parte da tarde, Renato tem direito a visitas, nos dias estipulados, permitidas com base no seu estatuto de detido. Além disso, o jovem pode desfrutar de 30 minutos numa área de convívio restrita, na companhia de um número reduzido de reclusos e com supervisão.

O resto do dia é passado na cela, até que o jantar é servido, entre as 17.00 e as 18.00. Depois do recolher, cedo, as luzes são progressivamente apagadas. E mesmo de noite, os movimentos de Renato são acompanhados ao pormenor.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG