Advogado de Renato Seabra pede "defesa psiquiátrica"

O advogado de Renato Seabra vai pedir hoje, sexta-feira, ao tribunal que conceda a atenuante de "defesa psiquiátrica" para o jovem acusado do assassínio nos Estados Unidos do colunista Carlos Castro.

David Touger, que representa Sebra, disse à Lusa que decidiu recorrer a este tipo de defesa, mas remeteu mais pormenores para a sessão que acontecerá neste dia no Tribunal Supremo de Nova Iorque.

Na anterior sessão, Touger explicou que, ao recorrer a esta modalidade jurídica, a defesa "admite que o incidente ocorreu como a acusação diz, mas que [Seabra cometeu o crime] sem saber que era certo ou errado fazê-lo" devido a perturbações mentais.

Touger recusa-se a comentar se esta modalidade poderá também permitir que Seabra cumpra a totalidade ou parte da pena em Portugal.

A "defesa psiquiátrica" pode significar uma pena mais reduzida para o jovem português, acusado de homicídio em segundo grau, com uma pena que pode ir de 25 anos a prisão perpétua.

O juiz irá ouvir os argumentos a favor e contra a admissão deste tipo de defesa, em particular extraídos das avaliações psiquiátricas feitas a Seabra, e marcar para uma data posterior o anúncio da sua decisão.

Segundo Touger, há "diferentes diagnósticos sobre a doença mental" de Seabra, nomeadamente do médico da acusação e dos que o assistiram no Hospital Bellevue.

No tribunal será também discutida a disponibilização pela procuradoria à defesa de elementos do processo-crime.

Seabra tem aguardado as sessões em tribunal na prisão de Rikers Island, contra a vontade do seu advogado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG